Últimas Notícias

5 coisas que irritam um cervejeiro

Por Anderson Senne


Existem muitas coisas sensacionais no mundo das cervejas. Podem ser sabores diferentes, aromas complexos, rótulos com designs muito bons ou simplesmente engraçados, pessoas animadas e muito guerreiras (daquelas que atravessam estados só para tomar boas cervejas), etc, mas existem algumas coisas que deixam alguns cervejeiros bem irritados. Por isso, preparamos uma lista de coisas que irritam um bom cervejeiro, seja em casa ou na rua. Confira:

1 – Rótulo Informativo da Importadora

Por obrigatoriedade toda importadora deve colar um rótulo traduzido que informe sobre os ingredientes daquela cerveja. Tudo bem que a tradução desses rótulos é feita, digamos, sem muita preocupação. Afinal, quantas vezes você foi procurar informações sobre um ingrediente específico de uma cerveja e se deparou com a seguinte descrição Ingredientes: Água, Malte de Cevada, Lúpulo e Levedura? Mas isso até passa...



Agora, eu só queria entender qual a necessidade de colar o diabo desse rótulo traduzido EM CIMA do rótulo original da cerveja! Ainda mais se for sobre a parte dos ingredientes. Esse rótulo traduzido acaba impedindo que você descubra detalhes da produção daquela cerveja e, além disso, dificulta a retirada do rótulo (caso você queira guardá-lo).

2 – Garçom que leva a tampinha ou a garrafa

Quando você pede uma cerveja num bar, não quer apenas degustar o líquido em si. Existe toda uma experiência de tomar uma cerveja que também inclui ver a garrafa, seu rótulo e sua tampinha. E por sinal, algumas são bem legais e vários cervejeiros fazem coleção.

Daí me pergunto, por que a pressa do garçom de levar a tampinha e a garrafa embora? Precisa retornar o casco antes da mercearia fechar? Está competindo pra ver qual garçom tem mais tampinhas no final da noite? Pô, chefia, deixa a tampinha e a garrafa na mesa pra gente... (momento desabafo).

3 – Garçom que tira seu copo antes do fim


A Cerveja está esquentando e é preciso salvá-la! CORRAM!
Quero deixar claro que sou fã dos garçons. Eles são caras que sempre te ajudam na hora do aperto e, convenhamos, muitas vezes suas maiores descobertas do bar dependem deles.

Contudo, talvez pela cultura da cerveja estupidamente gelada, às vezes surge uma ansiedade inexplicável de retirar o copo da mesa do cliente como se ela já estivesse esquentando e não devesse estar ali. Muitas vezes, deixar sua cerveja artesanal quieta por um tempo é até bacana para abrir os aromas e sabores de determinados estilos. Eu queria entender porque muitos garçons acabam tentando tirar o seu copo de cerveja de verdade antes do fim.

4 – Rótulos Inconvenientes




Muitos cervejeiros, como eu, gostam de guardar troféus ou pequenas lembranças de suas experiências de degustação de uma cerveja. Colecionar os rótulos das garrafas é um dos modos de fazer isso. Já demos algumas dicas de como retirar esses rótulos, mas admito que eu fico bem irritado quando faço todos os passos para retirar um rótulo e o desgraçado não sai ou, pior, começa a sair bonitinho e quase no final RASGA! Nesses casos, a saída é se contentar com a foto da cerveja...

5 – Os “Cervochatos”




Os “Cervochatos” (Bebedorus Chatium) existem em todas as culturas. Eles habitam algumas rodas de amigos, eventos cervejeiros e bares em geral. Na maioria das vezes, possuem grande quantidade de conhecimento sobre o tema cerveja, costumam se estender muito em assuntos que você não propôs e acham que quanto mais informações puderem expelir, sejam elas verdade ou não, fará com que eles sejam cada vez mais admirados. O que acontece na maioria das vezes é que eles se tornam um dos problemas para quem está começando a beber cerveja artesanal.

Apesar de eles acabarem irritando uns ou outros, tentem ter paciência com eles, pois são apenas pessoas que querem agradar e existe uma grande possibilidade de você também já ter dado uma de “cervochato” alguma vez na sua vida (nem adianta fazer cara feia pra isso! Vocês sabem que é verdade.)

E se algo mais irritar vocês, desabafem aqui nos comentários.

9 comentários:

  1. Sem dúvida, os itens 1 e 2 são bem irritantes.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Esse termo "cervochato" (assim como o "enochato" para os amantes de vinhos) é muito perigoso. Realmente existem certas posturas desagradáveis, como por exemplo ir a um bar ou uma festa e ficar criticando a cerveja servida lá caso não seja especial/artesanal ou simplesmente da sua preferência, ou ainda ficar pagando de "sou mais foda que todos vocês" pelo simples fato de ter mais experiência com degustação de cervejas. Mas qualificar a pessoa como "chata" apenas pq ela possui uma gama de conhecimento maior e quer compartilhar isso com outros potenciais interessados, é não só injusto como também um desserviço à cultura cervejeira! Infelizmente, faz parte do modus-operandi social brasileiro não gostar de estudar e ter repulsa ao conhecimento, então quando alguém nos mostra que podemos ir mais além naquilo que sabemos, já criamos instantaneamente uma resistência e rotulamos o indivíduo como "chato", "inconveniente", "CDF", "mala", entre outros. Chamar alguém de "cervochato" por esse motivo é equivalente a chamar alguém de "cervopreguiçoso" pq não quer aprender mais. Particularmente, acho extremamente nociva essa postura, em qualquer que seja o meio!
    Desejo fortemente que os "cervochatos" continuem espalhando seu conhecimento por aí, desde que sem arrogância, pelo bem da cultura cervejeira.
    Cheers!

    ResponderExcluir
  4. Concordo com o Paulo. pensar, analisar e ser crítico no meio cervejeiro é ser taxado de cervochato.

    ResponderExcluir
  5. Pedir uma, duas, três cervejas que tem na carta mas não tem na casa :(

    ResponderExcluir
  6. Eu entendi o termo cervochato. O indivíduo quer mostrar que conhece mais que você apenas para se sentir melhor consigo mesmo e esnoba o ''pouco'' que você conhece. Da para perceber muito bem quando a pessoa está compartilhando conhecimento e quando está alimentando o seu próprio ego. Isso existe em vários seguimentos.

    ResponderExcluir
  7. Sou um cervochato! Gosto de falar de cerveja, principalmente quando estou apresentando a pílula vermelha do matrix, para os tomadores de milho. Acho importante explicar o que esta sendo consumido ali. Pelo menos foi assim que me tornei um apreciador de boas cervejas.

    ResponderExcluir