Últimas Notícias

Quais são os ingredientes da cerveja? Entenda como a cerveja é feita!

Vamos aos poucos começar uma série aqui no canal dedicada a quem quer produzir cerveja em casa, sempre pensando em quem está descobrindo o nosso universo da cerveja artesanal por agora, de forma simples, divertida.




Hoje, vamos falar sobre os ingredientes da cerveja. Produzimos um vídeo explicativo para quem não quiser ler ~textão~ e ainda quiser espiar como os ingredientes são encontrados nas lojas para produção caseira. Para esse vídeo, contamos com o apoio do Cerveja da Casa (cervejadacasa.com) que possui todos os equipamentos e ingredientes necessários para a sua produção, além de kits prontos já com todo o maquinário e quantidades certas de insumos para quem quer começar a fabricar!



Dá um play, não esquece o joinha e assina o canal pra motivar o nosso trabalho, combinado?



INGREDIENTES DA CERVEJA

A cerveja é feita por quatro ingredientes básicos: água, malte, lúpulo e levedura. É claro que outros ingredientes podem ser adicionados à receita, dependendo do estilo da cerveja, mas são esses quatro ingredientes que definem a base do nosso líquido sagrado.

A água é mais de 90% da cerveja. A água utilizada no processo de produção deve ser de boa qualidade, filtrada e sem cloro, mas apesar do que alguns mitos propagam, ela não precisa vir de uma fonte nobre para que a cerveja tenha qualidade. Hoje em dia é possível filtrar e ajustar a água de acordo com a cerveja que se deseja produzir. Esqueça aquela história da água de Agudos, da fonte da Serra ou da geleira polar... Hoje em dia isso é um mito.

Para as produções caseiras, a água não é a maior das preocupações. É claro que é preciso buscar uma água filtrada, sem cloro e também com um Ph possível para a produção - por aqui procuramos ir em busca de uma água com o ph entre 5,2 e 5,5. Para a produção de alguns estilos, enriquecer a água com sais pode ajudar a chegar em um resultado mais alinhado com os guias de estilos. Mas isso já um papo mais avançado para quando entrarmos em detalhes sobre cada ingrediente.

MALTE


O malte é o grão de cevada que passou por um processo controlado de umidificação, germinou e teve esse etapa interrompida por secagem. Isso é necessário para que o grão transforme o amido em seu interior, produza e ative as enzimas necessárias para produzir cerveja. Além disso, o malte seco é mais estável e favorece o armazenamento.


Durante o processo de torra do grão serão definidos os aromas e sabores do malte. O malte vai dar cor, corpo, aroma e sabor à cerveja, além do alimento necessário para que a levedura trabalhe e produza o gás e álcool da cerveja. Chocolate, café, defumado, biscoito, caramelo, pão branco... Há uma infinidade de nuances sensoriais que o malte pode oferecer tanto ao aroma quanto ao paladar.


Dependendo do estilo, a cerveja pode levar também maltes de outros grãos como trigo, centeio e aveia. Além do malte, adjuntos não-malteados podem ser utilizados como arroz, milho, cevada torrada, flocos de aveia... Tudo vai depender da receita escolhida para a sua cerveja!

Por que cevada?

A cevada é um grão riquíssimo em amido e enzimas que favorecem a produção da cerveja. Ela possui baixo teor de gordura, uma boa relação de proteínas e suas cascas funcionam como escudos durante o processo de mostura e são filtrantes naturais - formam uma verdadeira "caminha" na panela que ajuda na filtragem do mosto.

LÚPULO

A alma da cerveja. Essa plantinha é responsável pelo aroma e amargor da cerveja. O lúpulo é uma planta trepadeira que pode chegar a 8 metros de altura. Seu nome científico é Humulus Lupulus e apenas as flores femininas da planta podem ser utilizadas na produção de cerveja - elas são ricas em lupulina, uma substância resinosa essencial para os aromas e amargor da cerveja.



O lúpulo também funciona como proteção para cerveja, ele é bacteriostático e possui ainda substâncias que vão impactar em uma boa formação de espuma.

Existem diferentes tipos de lúpulo e eles são classificados como lúpulos aromáticos, lúpulos de amargor ou lúpulos híbridos, que apresentam essas características em equilíbrio. Os lúpulos de amargor possuem alto teor de alfa-ácidos e serão utilizados no início da fervura para conferir o perfil do amargor da cerveja. Os lúpulos aromáticos são ricos em óleos essenciais e são adicionados mais ao fim da fervura.

Melão, pêra, manga, maracujá, flores, ervas, terra, grama... Há um buquê de aromas e sabores possíveis dependendo do tipo de lúpulo utilizado. Nos sites para compra de ingredientes, as características de cada um dos lúpulos são especificadas para que você possa atingir o melhor resultado.
Confira nesse link uma lista de lúpulos disponíveis para venda.

O lúpulo é primo da maconha

O lúpulo possui uma prima controversa. Ele pertence à família das Cannabinaceae, a mesma da maconha. Ele tem ainda propriedades medicinais sendo uma erva relaxante, diurética e anafrodisíaca.

Dry Hopping

O lúpulo pode ser adicionado em alguns processos frios de produção de cerveja em uma espécie de hop bag - semelhante a uma infusão de chá. Isso favorece a liberação de óleos essenciais que potencializa os aromas da cerveja.

LEVEDURA

Esses microorganismos vivos são responsáveis por toda a magia! Alguns cervejeiros afirmam que não fazem cerveja, apenas preparam o ambiente para que a levedura trabalhe. E é mais ou menos isso o que acontece. Após todo o processo de produção, a levedura é adicionada a baldes fermentadores e vai consumir o açúcar disponível para transformar em gás carbônico e álcool. Além disso, contribuem com alguns perfis do aroma, graças aos ésteres que produzem. Abençoados funguinhos!



Existem dois tipos principais de leveduras: as leveduras de alta fermentação (Saccharomyces Cerevisiae) que vão produzir as cervejas Ale e as leveduras de baixa fermentação (Saccharomyces Calbergensis) que vão produzir as cervejas Lager. Existem ainda as leveduras selvagens (Brettanomyces, Saccharomyces Bayanus, Saccharomyces Cariocus entre outras) que serão responsáveis pelas cervejas de fermentação espontânea como as Lambic, mas em geral não são desejadas em uma produção, sendo agentes contaminantes.



Cada um desses ingredientes daria páginas e páginas de assunto, mas vamos começar aos poucos a explorar esse mundo fantástico. Se você quiser começar a produzir cerveja em casa, não deixe de passar no cervejadacasa.com eles têm tudo o que você precisa para a produção e eu também recomendo alguns cursos bacanas aqui no Rio de Janeiro, confere aí:

>> Cursos de Cerveja Caseira no Rio de Janeiro

Nenhum comentário