Últimas Notícias

As 15 cervejas mais esquisitas do mundo

Verdade seja dita, a editora que cá vos fala nunca tomou essas cervejas da lista. Então, nem dá pra falar se essas moças, apesar da esquisitice, são gostosas. Prepare sua sobrancelha arqueada e a boca torcida para os exemplares que vamos apresentar hoje:

1. Cerveja feita com sal marinho e lagostas vivas
Saison Dell'Aragosta
Cervejaria: Oxbow
















O mestre cervejeiro Tim Adams, da cervejaria Oxbow (Maine), em parceria com uma cervejaria da cidade italiana de Parma, inventou uma receita pra lá de esquisita. Adicionou lagostas vivas e sal marinho na cerveja! Ele disse que as lagostas são colocadas em um saco de lona e suspensas em um caldeirão cheio de mosto (líquido de malte e água, uma das fases da fabricação da cerveja). Adams disse que as lagostas adicionam um sabor sutil à cerveja, que foi batizada de Saison Dell’Aragosta. Ela tem 4,5% de teor alcoólico e saiu em uma edição limitada. As lagostas que foram cozinhadas no processo de fabricação da cerveja foram posteriormente comidas, segundo o cervejeiro. (AGORA TÁ TRANKS)




2. Cerveja embalada com animais empalhados
Brewdog End of History
Cervejaria: Brewdog



Essa é uma cerveja que sempre gera polêmica, pois as pessoas tendem a associar a taxidermia à crueldade com os animais. Difícil saber em quais circunstâncias os bichos morreram, mas a Brewdog utilizou seus corpinhos para embalar a cerveja mais rara entre todas de sua linha: a End of History. Ela é uma Eisbock com 55% de álcool que conseguiu desbancar a Sink the Bismarck, também da Brewdog, uma Imperial Double IPA extrema produzida para chegar aos 200 IBU e 41% de álcool. O preço também é bem extremo, variando de 80 a 100 dólares por 355ml.

3. Cervejas de maconha
O lúpulo, planta utilizada na cerveja para conservá-la e conferir aroma e amargor, é um primo distante da maconha. Mas acho que os cervejeiros não estavam muito satisfeitos com esse distanciamento na árvore genealógica da cerveja. Já existem alguns rótulos de cerveja feitos com maconha e derivados como óleo de cânhamo, suas sementes e outras partes da planta.

4. Cerveja feita com levedura de vagina
Original Pussy Beer
Feita pela artista Toi Sennhauser





Toi Sennhauser é uma artista tailandesa que foi morar em Seattle e decidiu que uma de suas intervenções artísticas seria uma cerveja que homenageava a ligação histórica entre a produção de cerveja e as mulheres. Até aí, tudo corre dentro da normalidade. Mas Toi foi além e decidiu misturar nas leveduras da cerveja, algumas leveduras de sua própria vagina. Com isso, ela criou a Original Pussy Beer e iniciou uma reflexão sobre a sociedade desconectada do corpo humano: "Por que soa tão diferente quando um ingrediente é proveniente de nossos corpos?".



5. Cerveja sabor Pizza
Mamma Mia! Pizza Beer
Feita pela família Seefurth



Durante o processo de fabricação, são adicionados tomate, orégano, manjericão e alho entre os ingredientes. A ideia é do casal Tom e Athena Seefurth que garantem que o sabor da pizza pode ser percebido no retrogosto. Produzida até hoje no Canadá, essa Spice/Herb/Vegetable Beer possui 4,6% de álcool.

6. Cerveja produzida com levedura de barba
Rogue Beard Beer
Cervejaria Rogue




Se já fomos tão longe com a Pussy Beer, porque os marmanjos ficariam de fora?
Com a ousadia inerente da Rogue, o mestre-cervejeiro John Maier enfim encontrou uma utilidade além da estética para a barba que cultiva desde 1983. Com leveduras encontradas em meio aos seus pelos faciais foi criada a Blonde Ale Beard Beer. Com 5,6% de álcool, a cerveja possui toques frutados de banana e laranja além de especiarias e sutil amargor. Bom trabalho, John.

7. Cerveja de cocô de gambá
Mikkeller Beer Geek Brunch Weasel
Cervejaria Mikkeller




Na verdade, essa cerveja é feita com o Kopi Luwak - ou café Civeta. Esse tipo de café é extremamente raro (e caro) pois a sua produção depende de um processo um tanto engenhoso da natureza: os civetas, animais da família dos gambás, ingerem os grãos de café. Ao passar pelas reações enzimáticas em seus corpithos, os animais defecam os grãos que finalmente são utilizados na produção do café ou, nesse caso, da Mikkeller Beer Geek Brunch Weasel, uma Imperial Stout de 10,9%. Aqui no Brasil, há também várias experimentações com o café proveniente do cocô do pássaro Jacu.

8. Cerveja com pó lunar
Celest-jewel-ale
Cervejaria: Delaware Brewery





A Dogfish Head em parceria com a ILC Dover - uma empresa que cria vestimentas para astronautas - se uniram para fazer uma cerveja especial. A Dogfish produziu uma cerveja do estilo Oktoberfest com 5% de álcool, 25 IBU e ... pó lunar. A Celest-jewel-ale é feita com meteoritos triturados em pó que são infusionados à produção acrescentando um sabor ironicamente "terroso".

9. Cerveja feita com algas marinhas
Kelpie Seaweed Ale 
Cervejaria: Williams Bros Brewing



A cerveja Kelpie Seaweed Ale é produzida com algas que se desenvolvem em cultura orgânica dentro da cervejaria Williams Bros Brewing. Ela tem 4,4% de álcool. A inspiração veio da prática anterior a 1850 quando as cervejarias utilizavam algas marinhas como fertilizantes na produção de cevada. A cervejaria resolveu ir além e adicionar um "purê" de algas na receita. Eles a descrevem como uma chocolate ale com aromas de brisa do mar. Vish!

10. Cerveja feita com Viagra
Brewdog Royal Virility Performance
Cervejaria: Brewdog




A Brewdog desenvolveu uma receita com a pílula azul em homenagem ao casamento do Príncipe William e Kate Middleton. A ideia era entregar ao casal para que eles fizessem bonito na noite de núpcias. As frases do rótulo são engraçadíssimas - "Comemore como o Grande Willy" e "Levante Príncipe Willy".

11. Cerveja para beber quente
La Dragonne
Brasserie des Franches-Montagnes




Se você pensa em cerveja e imagina uma caneca trincando de gelada, você ainda não conhece a La Dragonne. Antes de tomá-la recomenda-se que a bebida seja aquecida no fogão ou no microondas. Essa Herbed/Spiced Beer tem 7,5% de álcool. Produzida pela Brasserie des Franches-Montagnes, possui sabor apimentado.

12. Cerveja feita de iceberg
Iceberg Beer
Cervejaria Quidi Vidi 



Se aqui no Brasil somos ludibriados com a história da cerveja especial graças à pureza das águas das montanhas (ou de Agudos), os canadenses precisam engolir a criação da Quidi Vidi, uma cerveja produzida com as águas de iceberg da região de Terra Nova e Labrador, província na Costa Leste do Canadá. Ela é uma light lager (RÁ!) de 4,5% de álcool. Pelo menos, a garrafa é um charme.


13. Cerveja feita com ouro
"Re"Gold 
Cervejaria: Zámek Zábřeh





Não, não estamos falando de um rótulo luxuoso impresso em ouro, estamos falando em colocar ouro na receita. O hotel e cervejaria tcheco Zámek Zábřeh produziu 500 garrafas de uma lager que leva 0,018 gramas de ouro. "Re" Gold é uma cerveja com 5,1% de álcool e 100% ostentação. O próprio mestre-cervejeiro Marek Pieton avisa que o ouro não provoca nenhuma alteração no sabor da cerveja, mas pode ter efeitos positivos para a saúde no futuro... Eu, hein!
Ah! Esse hotel também oferece um serviço de spa com banheiras cheias de cerveja artesanal para tomar um banhinho relaxante. Me afogo!





14. Cerveja feita com testículo de boi
Stout Oyester Rocky Mountain 
Cervejaria: Wynkoop Brewing Company 






Aproximadamente 25 quilos de testículos de boi são cortados e assados para complementarem o mosto da Stout Oyster Rocky Mountain. Ela leva sete maltes especiais, cevada torrada, sal marinho, lúpulo e possui 7% de álcool. Existem ainda outras cervejarias que brassam cervejas com porcos e pra aproveitar a deixa, existe uma maldita cerveja inglesa que usa carne moída de galo na receita... Acho que vocês já entenderam o espírito, não vou nem entrar em detalhes sobre elas para não picotar todos os bichos do mundo até o fim da matéria.

15. Cerveja de ostra
Pearl Necklace Oyster Stout
Cervejaria: Flying Dog




Tudo bem que as Stouts são um estilo que harmoniza culturalmente com ostras, mas será que a ideia era harmonizar já DENTRO da garrafa? A Pearl Necklace Oyster Stout é feita com as ostras locais (Rappahannock River) e tem 5.5% de álcool. Existem outras cervejarias que produzem Stouts com ostras, mas essa é considerada uma das melhores. A Flying Dog incentiva o Oyster Recovery Partnership que apoia em larga escala a preservação das ostras na Baía de Chesapeake. Parte dos lucros da cerveja são direcionados à iniciativa.


E você? Já tomou alguma cerveja bizarra?
Conhece outro rótulo muito estranho? Deixe um comentário!

Um comentário:

  1. Olá, Amanda, tudo bom? Ótima matéria! Vocês conhecem a Monasterium da cervejaria mineira Falke Bier? Talvez não chegue a ser bizarra, nem muito estranha mas, tem uma característica no mínimo interessante. Essa cerveja, depois de pronta, fica guardada em uma micro adega subterrânea e ao som de canto gregoriano. É impressionante, quando você entra lá, vê as garrafas emborcadas nas paredes, fecha os olhos e sente aquela vibração! Parece bem possível que essa vibe também influencie no processo de maturação do precioso líquido, não? Um abraço, Otávio.

    ResponderExcluir