Últimas Notícias

Festival de Microcervejarias do Rio de Janeiro - saiba como foi

Por Amanda Henriques




O Festival de Microcervejarias do Rio de Janeiro do Brewteco aconteceu ontem (sábado, 13/9) no... Olympico Club. Pois é, na madrugada de sábado para domingo os planos mudaram e o evento foi para o espaço em Copacabana.

Já era de se esperar: os ingressos (R$20) esgotaram em poucos dias e os vizinhos do o Brewteco já não comportaria os mais de 300 participantes tarados por cerveja artesanal. A estrutura do Olympiko Club era bem básica, mas possibilitou que 16 torneiras estivessem disponíveis a preços camaradas (de 4-7 reais), mostrando o trabalho de 12 cervejarias.


O pessoal da AcervA Carioca comandava a brassagem de uma pale ale que recebia os participantes com um aroma de caramelo na entrada. Quem chegava ao evento recebia de brinde copo, dois chopes e água.


Algumas cervejas anunciadas não estavam no evento como a Pe'ahi e a Dark Strong Ale da Ranz. Por outro lado a Ranz levou uma novidade, a estilo livre Paraíso, feita com grãos-do-paraíso, uma especiaria da Costa do Marfim. Os caras também levaram a Ranz Capineira, com capim-limão e uma Trippel.

Também com lançamento no dia, a Röter levou sua Dubbel que será comercializada a partir do mês que vem com garrafas numeradas em edição limitada. Uma cerveja com aroma bem intenso e dulçor que foi destaque do festival.


A 2Cabeças levou sua Saison de carambola, a Caramba!, feita em parceria com a Stillwater. Eles homenagearam o dia da cachaça levando 4 rótulos da cachaça premiada São Miguel, que os participantes poderiam optar por misturar na cerveja.


A Penedon desceu a Serra com sua English IPA Serra da Índia e sua Honey Bock levemente adocicada. Eles levaram também outros rótulos em garrafa como a Agulha Negra. Já degustamos a Agulha Negra e falamos dela na matéria de turismo cervejeiro em Penedo.


Jeffrey esteve presente com a witbier Niña e seus cobiçados porta-copos que reproduzem obras de artistas que expõem em sua galeria no Leblon.


A Jeffrey dividia a bancada com a mocinha lupulada Hija de Punta e a Mistura Clássica que levou os rótulos especiais desenvolvidos para a Copa do Mundo e deram mais uma chance pro pessoal provar a  IPA Vertigem e a Saison Euforia.

Three Monkeys e Fraga contribuíram com suas Blondes e a Noi está se tornando presença garantida nos eventos cervejeiros do Rio de Janeiro e São Paulo. A niteroiense levou a blonde Noi Avena e a IPA Noi Amara.


Esteve no festival?
Conta aí como foi a sua experiência.

Papo da Maria

O Rafael Thomaz do Brewteco se virou nos 30 para fazer o evento acontecer com a estrutura necessária e o resultado foi bem bacana. A questão é que muita gente também queria estar lá e não conseguiu e quem foi no espírito de beber ao ar livre encontrou um cenário completamente oposto.
Já estamos esperando o próximo que possa comportar ainda mais cervejeiros que ficaram de fora dessa. O Rio de Janeiro precisa de eventos como esse e a maior prova foi que os ingressos esgotaram praticamente no boca a boca em questão de poucos dias. Para as próximas edições vale buscar uma estrutura melhor principalmente para a área de alimentação que ficou carente. Pontos de água gratuitos e mais um local para compra de tickets também ajudariam. :)

Saldo positivo, queremos mais!

Nenhum comentário