Últimas Notícias

Duas leis secas e uma passagem

Uma curiosidade histórica e uma ação de marketing bacana

Por Anderson Senne

O consumo de bebidas alcoólicas sempre foi mal interpretado por diferentes grupos ao longo da história. Em 1920, nos EUA, por conta dos altos gastos com a 1º Guerra Mundial, o país precisava economizar alimentos de qualquer forma possível. Sendo assim, as bebidas que eram produzidas com uso de cereais, como trigo e cevada, passaram a ser fortemente evitadas. Nesse mesmo ano entrava em vigor um Ato de Proibição Nacional que impedia a produção de qualquer bebida com mais de 0,5% de teor alcoólico. Foi uma época bem  tensa para os americanos, que, na verdade, não param de beber, pois o comercio ilegal de bebidas corria solto por lá. Essa lei ficou conhecida como a Lei Seca.

Aqui no Brasil, com o intuito de reduzir o alto número de acidentes no trânsito provocado pela mistura de álcool e direção, em 2008 a Lei Seca deu as caras. E mesmo com muita discórdia envolvida, em 2012 a lei foi endurecida ainda mais, tornando mais rígida a punição para motoristas flagrados dirigindo sob o efeito de álcool. Motorista da rodada, transporte público, taxi, foram algumas das saídas arrumadas pelos bebedores de plantão.



Na Áustria, a cervejaria Stiegl não esperou o negócio ficar feio. Sabendo que o período de festas de fim de ano é quando mais cresce o consumo de bebidas alcoólicas, em dezembro de 2012 ela lançou uma ação inovadora na cidade de Salzburg. A cerveja Bock da Stiegl teve seu rótulo substituído por bilhetes do transporte público local, com o intuito de evitar que as pessoas dirigissem depois de beber. A ação foi feita em parceria com a agência de design Demner, Merlicek & Bergmann e foi premiada por toda a Europa.

2 comentários:

  1. O problema aqui no Brasil é vc sair do bar nas madrugadas e pegar um busao...qto tempo esperaria pra ir pra casa ? Bem aqui no RJ estaríamos fu....

    ResponderExcluir